fbpx

Como agir: Respeito e profissionalismo sempre

Entra ano, sai ano, e o assédio sexual continua sendo um problema muito comum no universo do trabalho.
E ele pode trazer consequências graves, como a perda de interesse pelo trabalho e do prazer de trabalhar, desestabilização emocional, surgimento de doenças, entre outros.
Para lidar com essa difícil situação, não se cale. Procure um espaço de confiança na empresa ou mesmo fora dela (em um sindicato ou no Ministério Público de Trabalho) e denuncie.
Para entender mais sobre esse tema, conheça a cartilha “Assédio Sexual no Trabalho”, elaborada pelo Ministério Público do Trabalho em parceria com a Organização Internacional do Trabalho:
 http://bit.ly/AssedioSexualNoTrabalho – Post originalmente publicado em julho de 2017.
Descrição da imagem #PraCegoVer: ilustração de uma mulher com roupa de trabalho, com a mão aberta para frente, em sinal de “PARE!”. A expressão em seu rosto é de braveza.
Texto: Assédio sexual não precisa de contato físico. No universo do trabalho, o assédio sexual pode se dar de maneira explícita ou sutil. Expressões faladas ou escritas, gestos, imagens enviadas por e-mails, comentários em redes sociais, vídeos e presentes podem caracterizar essa prática. Não se cale. Denuncie! CNJ
Ligue
Rota
WhatsApp Fale com a Advogada!